Novos jovens aprendizes assinam contrato e já estão trabalhando

Ele fazem parte da família Casa de Ismael desde que foram acolhidos. Mas, agora, a Casa de Ismael tem a honra de participar do primeiro passo da vida profissional deles e isso só está sendo possível graças ao esforço e a dedicação de cada um desses jovens.

Emily, Estefani, Thalia e Guilherme

O Guilherme, a Estefani, a Thalia, que têm 16 anos, e a Emily, de 15, fazem parte do programa Primeiro Passo para o Trabalho – o programa de formação de jovens aprendizes que faz parte do Setor de Educação Sócio-profissional da Casa de Ismael – Lar da Criança, e visa a formação profissional, pessoal e cidadã de adolescentes em situações de vulnerabilidade.O Programa se fundamentada na Lei 10.097/2000, conhecida como Lei do Aprendiz e funciona em parceria com as empresas locais, onde os jovens executam tarefas que auxiliam sua formação prática durante quatro horas por dia, durante quatro dias da semana, porque o quinto dia o jovem participa da aprendizagem teórica oferecida na Casa de Ismael. Nesse programa de estágio, eles começam a ter contato com o mercado de trabalho e a direcionar a vida profissional.

O programa Primeiro Passo tem duração de dois anos. A Emily vai contribuir na parte administrativa do Banco do Brasil. Já o Guilherme, a Estefani e a Thalia vão trabalhar na Casa de Ismael, tanto na parte administrativa como na educativa.

Mães sociais acompanham assinatura de contato – emocionadas e muito felizes

Para fazer parte do programa, todos precisaram preencher os requisitos necessários, entre eles, os mais importantes: estar estudando e ter um bom rendimento escolar.
Durante a cerimônia de assinatura dos contratos houve muito emoção.  A coordenadora do setor de educação sócio-profissional, Keity Gisele Reis da Silva, lembrou que a Casel, que sempre esteve presente na vida deles desde o acolhimento, agora conta com eles para levar a instituição adiante, e que todos estão de braços dados rumo ao futuro.
Keity também lembrou que o carinho será o de sempre, mas agora a relação entre eles e os funcionários da casa muda um pouco. As tias passaram a ser colegas nessa fase de transição pela qual eles estão passando. E que, se eles chegaram a dar esse importante passo, eles têm condições de ir além. “Esse é um trabalho em conjunto, em que a Casel participa de um processo de amadurecimento desses jovens. É o mesmo trabalho de transformar o barro numa obra de arte. Hoje, eles estão num estágio pré-profissional, dando um dos primeiros passos para a autonomia de vida”, destacou a coordenadora, emocionada.
Todos coordenadores e diretores foram unânimes ao dizer que “todos os adolescentes que passam na casa de Ismael precisam estudar e dar o primeiro passo”. E, por isso, com muita alegria, diretores, coordenadores e mães sociais fizeram questão de estarem juntos nesse momento.
O diretor da Infância e da Juventude, da Casel, Antonio Brás de Almeida, reforçou que a partir de agora, os novos aprendizes vão ajudar a casa a funcionar, a melhorar e que a responsabilidade aumenta à medida que nesse momento se tornam exemplo para os outros. E complementou aos jovens “Quando terminar esse estágio de dois anos, vocês não podem parar. Meus parabéns! Estou muito emocionado e realizado com essa conquista de vocês”.
A emoção também marcou o discurso da coordenadora de acolhimento, Vivian Queiroz, que disse estar orgulhosa de ver que eles chegaram até a profissionalização, pois isso é alcançar um patamar maior do que eles estavam até então, é crescer. “Nós estamos de braços abertos, aqui vocês tem todos os direitos trabalhistas como qualquer trabalhador. Continuem estudando”, aconselhou a coordenadora.
A encarregada do Departamento de Educação da Casa de Ismael também destacou a importância dessa conquista. “Essa associação do mundo da educação e do mundo do trabalho é fundamental, porque por meio da educação é que vocês vão conseguir cada dia mais se especializarem. E quando a gente tem a oportunidade de trabalhar com o que a gente gosta, esse compromisso aumenta”, disse Aparecida ao se recordar do semelhante trabalhado que a Casa de Ismael já vinha desenvolvendo nos anos de 1990 e que mudou a vida de tantos acolhidos.
Todos, inclusive o diretor administrativo, Hubimaier Santiago, aconselharam os jovens a seguirem comprometidos com essa primeira oportunidade profissional, uma vez que o compromisso se torna ainda maior, agora, quando eles passam a participar também do desenvolvimento e da educação das crianças da Casel, representando a instituição dentro e fora dela.
Agradecimentos
O Guilherme aproveitou o momento para agradecer à Casa de Ismael pela oportunidade. “Esse é um grande espaço que nós damos. O programa já fala tudo – é um primeiro passo não só pro mercado de trabalho, mas para as nossas vidas. Nós passamos por um processo de amadurecimento cheio de ansiedade, conflitos, barreiras. Mas nós conseguimos, né, e todo dia nós damos um primeiro passo pra um novo começo, um novo tudo”, disse Guilherme.
Emily em poucas palavras contou, emocionada, que sempre quis trabalhar e resumiu o sentimento de todos na sala. “Estou muito feliz!!”.
Já Thalia aproveitou para complementar “É uma honra muito grande, hoje, estar sentada aqui e pensar que cresci aqui dentro e vou começar minha vida profissional aqui. Eu sempre pensava que a minha hora não ia chegar, mas chegou”.
E, com lágrimas nos olhos, Estefani encerrou “Sempre quis trabalhar! Muito obrigada a todos por terem nos ajudado. Esse é o primeiro de muitos passos”.

 

Arraiá Sustentável no CEPI de Sobradinho

O Centro da Primeira Infância Flor de Lis, de Sobradinho, foi o primeiro a implantar o atual modelo de gestão das creches no DF e a Casa de Ismael está no projeto desde o início, quando o Centro foi inaugurado, em 2014. Por isso, é possível dizer, com propriedade, que lá, professores, funcionários, alunos, responsáveis e a comunidade como um todo fazem parte de uma grande família cujo objetivo maior é dar o melhor para as crianças.

E essa grande família aproveitou o Arraiá como tem que ser: com muita dança e alegria, num ambiente bem familiar. A festinha foi de graça pra toda a comunidade. E vale dizer: a criançada deu um show.

No CEPI, estudam 141 crianças de 4 meses a 6 anos. Esse é um espaço inteiramente dedicado ao primeiro contato delas com uma estrutura pedagógica. Por isso, algumas atividades que são desenvolvidas durante o ano são apresentadas com muito orgulho por alunos e professores em dias de festa, como nesse 1 de julho de 2017.

Os 32 funcionários se empenharam para fazer bonito. Além das barraquinhas de comida e das brincadeiras que contribuíram para que a tarde de sábado fosse animada e gostosa, todos se envolveram com o tema da festa – Arraiá da Sustentabilidade. Essa foi uma maneira de levar consciência ambiental não só para os alunos, mas para a comunidade em geral. Todo o resíduo de plástico e papel, gerado na festa, por exemplo, foi entregue a uma cooperativa de reciclagem da cidade, por meio de uma parceria que a escola fez. E os resíduos orgânicos serviram de adubo, feito na própria escola, para deixar o jardim ainda mais florido.

Entre as oito turmas que fizeram apresentações de dança, a do maternal II chamou a atenção porque todos, inclusive a professora Valdirene Alves de Araújo, estavam vestidos de roupas feitas por eles mesmos com materiais recicláveis.
A diretora pedagógica, Iara Farias, fez questão de destacar que toda a decoração também foi feita pelas crianças, que aproveitaram o material reciclável que a comunidade levou para a escola. “Estamos muito felizes de ver que o CEPI está sendo uma importante ferramenta de educação e integração da sociedade como um todo”, comentou.
Tudo isso faz parte de um contexto ainda maior – trabalhar a relação da criança com a natureza.  O Centro de Educação da Primeira Infância Flor de Lis, mais uma vez, mostrou que a educação é capaz de colorir uma comunidade inteira e espalhar alegria e conhecimento, como bem fizeram todos que participaram dessa grande festa.

Tradicional reunião geral apresenta talentos de dentro e de fora da Casel 

Parecia que seria só mais uma reunião em que todos já estavam prontos para receber as informações sobre as pesquisas de satisfação dos diferentes públicos atendidos pela Casa de Ismael e os resultados da Convenção Coletiva de Trabalho, mas não. A tradicional reunião geral dos colaboradores da Casa de Ismael começou animada. Primeiro, com um café da manhã. Em seguida, depois que todos entraram no auditório, o encontro ganhou brilho com os artistas revelados na Casel e de fora.

A primeira apresentação encantou a todos, quando os três primeiros talentos da Casa de Ismael com voz, violão e dança, levaram uma bonita e emocionante mensagem por meio da música Trem Bala, da cantora e compositora Ana Vilela.

Quem achou que as surpresas terminariam ali, se enganou e se surpreendeu ainda mais. Os alunos das turmas 2, 3 e 4 do matutino arrasaram no breakdance ao lado do professor Carlos Alexandre Ferreira.

E quando todos já estavam animados, o presidente da Casel, Waldemar Martins, chamou, ao palco, convidados muito especiais – os integrantes do grupo Batucar, do Recanto das Emas.

O Projeto Batucar é inspirador – partiu de uma iniciativa sem renda, só com vontade de se tornar um projeto social de música, mas com um detalhe – à época, não tinham  instrumentos. Foi então que o pessoal do Batucar descobriu o que se tornou o grande diferencial do projeto –  era possível usar o corpo para fazer música e fazer brilhar os olhos de todos que os assistem.

A manhã do último sábado (03/06) foi recheada de cultura e alegria. E assim, num clima descontraído que informações importantes para um bom desempenho de todos foram repassadas   aos colaboradores da Casel.

 

As pesquisas de satisfação feitas com os públicos interno e externo da entidade foram detalhadas a cada área – chamando atenção para diversos ítens – dos básicos, como segurança, aos que envolvem diferentes setores de atendimento, como alimentação e acolhimento. Os resultados foram observados com críticas e elogios, sempre com o incentivo para que haja melhora do serviço.

Se tem algo que contribui para o melhor atendimento ao público da Casel é a dedicação de seus colaboradores. Por isso, todo ano, quem se destaca por fazer algo além do que sua função lhe exige também é valorizado.

Dessa vez, foi o instrutor de educação física, Carlos Alexandre Ferreira, que recebeu das mãos do diretor administrativo, Hubimaier Santiago, o certificado de colaborador participativo, que é um reconhecimento pela relevante ação que fez e que faz toda a diferença não só para a entidade, mas para a vida das crianças que assistida na Casel.

Por fim, além da conversa sobre a Convenção Coletiva de Trabalho, foi feito um sorteio entre os funcionários que não faltaram durante todo o ano. Três deles dividiram entre si o décimo quarto salário. Duas das três colaboradoras sorteadas receberam o cheque das mãos do diretor administrativo, Hubimaier Santiago. A outra colaboradora premiada não esteve na reunião porque estava aproveitando um benefício concedido pela Casel, folga no dia do aniversário.

Almoço beneficente reúne várias famílias do DF na Casel

Almoço notícia 1O tradicional almoço beneficente da Casa de Ismael – Lar da Criança, mais uma vez, foi um verdadeiro sucesso. Mais de 50 famílias compareceram à instituição onde desfrutaram de um delicioso lagarto ao molho madeira, acompanhado de salada, farofa e arroz à grega. Quem preferiu, também pode saborear o famoso e suculento frango assado. Continuar lendo