Na Casel, 2018 já começou!

Ainda nem terminamos 2017, mas os coordenadores e dirigentes da Casa de Ismael já estão de olho no próximo ano, estabelecendo novas metas e prevendo novos projetos para 2018.

O presidente da Casa de Ismael, Valdemar Martins, abriu a Reunião Ordinária nº 552, apresentando novas ideias que levam a Casa de Ismael a ter mais ações voltadas a  sustentabilidade, colaborando assim com a economia e o meio ambiente. E também mostrou que, para o ano de 2018, está previsto aumentar a oferta de alguns serviços.

A coordenadora de acolhimento, Vivian Queiroz, chamou a atenção para o desafio que a Casa de Ismael tem encontrado nos últimos anos, que é dar uma formação integral para os acolhidos que somente saem da Casa aos 18 anos. Eles, que passam a adolescência na Casel, ainda são acompanhados seis meses ao fim do acolhimento. Por isso, para a coordenadora, para fazer o planejamento do próximo ano foi necessário considerar esse novo perfil de atendimento da instituição, que hoje, dentre todos acolhidos, atende 33 adolescentes.

Vivian também lembrou a missão da Casa de Ismael – receber, cuidar e proteger as crianças e os adolescentes. E para cumprir esse papel, a coordenadora apresentou diversas atividades programadas para o próximo ano, uma vez que o acolhimento não é feito só por um setor da Casel, mas pela integração das diversas áreas da instituição. O objetivo, disse Vivian, é sempre seguir o que é estabelecido no Estatuto da Criança e do Adolescente, garantindo o acesso integral das crianças a partir de um atendimento global, que envolve, principalmente, o acesso à  saúde (psicologia, odontologia, fisioterapia, médicos, entre outros) e à educação (com acompanhamento escolar e encaminhamento à profissionalização), além do lazer (aula de futsal, atividades de cultura e lazer, oficinas de artes circenses, aulas de yoga, oficinas de percussão). A ideia, para o ano que vem, é, ampliar o atendimento não só para as crianças, mas também para a família do acolhido, promovendo a reintegração à família de uma maneira global. Um dos pontos principais que serão ainda mais fortalecidos no próximo ano é garantir que as crianças e os adolescentes tenham voz dentro da Casa e continuem sendo estimulados a buscar os seus direitos sabendo dos seus deveres como cidadãos. Para isso, serão mantidas e ampliadas ações como assembleia entre os acolhidos, grupo mensal “Se liga, jovem”, atividades de empreendedorismo, grupo de empoderamento feminino, grupo de coaching para adolescentes, entre outros.

E diante de todos esses desafios, a Casel também está de olho na ampliação das atividades de capacitação dos profissionais que atuam na instituição, como as que já são oferecidas hoje, como acompanhamento das mães sociais por psicólogos, terapia de reiki  para mães sociais e equipe a cada quinze dias, participação em fóruns e palestras, grupos de apoios.

Os projetos da coordenação da convivência foram apresentados pela Ana Clara, que ressaltou um detalhe importante: hoje, a capacidade de atendimento do serviço de convivência da Casa de Ismael é de 200 crianças e adolescentes, mas atualmente são atendidos apenas 130 porque falta repasse de verba do governo distrital. Com isso, ainda existe uma fila de espera para que crianças e adolescentes, de 6 a 17 anos, participem do serviço que atende tanto crianças e adolescentes de diversas regiões administrativas como de cidades do Entorno também, além dos acolhidos e egressos da Casa de Ismael, que são acompanhados pelo serviço.

Pro ano que vem, o planejamento é estreitar ainda mais os laços com as famílias também, porque o serviço de convivência é um trabalho de prevenção para que, fortalecendo as famílias, as crianças e os adolescentes permaneçam no seio familiar. Além desse trabalho,  a coordenadoria orienta essas famílias sobre os equipamentos e serviços públicos que estão à disposição da população de baixa renda. O serviço de convivência promove, ainda, aulas-passeio, acesso à cultura, reforçando a valorização da cultura local que está à disposição de todos, muitas vezes gratuitamente. Parcerias, como a feita com o Banco do Brasil, propiciam acessos importantes como à literatura. E o esporte é outro ponto que também está sendo valorizado a partir de aulas de skate, de dança, de futsal. Tudo isso auxilia num trabalho fundamental do serviço que é desenvolver o respeito entre as pessoas, inclusive entre as gerações que se encontram na própria Casa de Ismael. Para 2018, a ideia é ampliar ainda mais esses serviços e incluir novos que sigam essa linha, de promover a autonomia e a educação das famílias, das crianças e dos adolescentes.

Iara, diretora do Cepis Flor de Lis, apresentou o projeto institucional para 2018, levando em consideração as atividades realizadas tanto na Asa Norte como em Sobradinho e o  mapeamento do interesse das crianças, dos adolescentes e das famílias. Para o próximo ano, o setor de educação pretende enfatizar a valorização da diversidade, da sustentabilidade e do protagonismo das crianças e dos adolescentes, como sujeitos ativos e de direito.  Trabalhar o respeito, as relações sociais, a formação do “eu”, a democracia com mais intensidade é um dos objetivos do currículo pedagógico que está sendo elaborado para o ano que vem.

Esses foram só alguns dos pontos discutidos na reunião, onde também foram apresentados resultados e parcerias importantes na coordenação de profissionalização e, claro, da diretoria financeira. É a Casa de Ismael crescendo e evoluindo junto com nossas crianças e adolescentes, olhando pra um presente e um futuro sempre melhores.

 

Novidades no nosso bazar!

Tá precisando de uma roupa de festa ou de algo básico pro dia-a-dia, mas não quer gastar muito? Ou está procurando um móvel, um utensílio diferente, um acessório bacana? Aqui é o lugar! Nosso bazar é dividido em várias sessões, todas com preços bem camaradas (vestuário, por exemplo, até R$ 39,90). Dá só uma espiadinha!! Tudo que é doado é criteriosamente separado. Uma parte é destinada para os acolhidos, para as famílias assistidas. Outra parte vem pra nossa loja que é organizada com todo carinho.

Se você está querendo fazer alguma doação, mas não sabe como, pode vir até aqui de segunda a sábado, a partir das 9h da manhã. Mas se você não tem como trazer suas doações, ligue pra gente que nós damos aquele jeitinho de ir buscar.

E não se preocupe se aquela sua blusa tem um furinho e você está achando que não está boa para doação, porque aqui nós arrumamos as peças e deixamos todas lindas, lindas! E recebemos de tudo! Até um carro já vendemos aqui! Sua doação é muito importante, porque o dinheiro arrecadado aqui é revertido para a manutenção da Casa de Ismael e ajuda a garantir o bem estar dos nossos acolhidos.

Ah.. mas se você também estiver achando que tem algo que não vale a pena doar, traga pra gente mesmo assim. Porque, ainda que a peça não esteja em bom estado ou seja ideal para a revenda, nós ainda ajudamos outras instituições de crianças e jovens. A gente está te esperando!!!

Relatório de atividades 2016

 A Casa de Ismael informa que está disponível para leitura e download o Relatório de Atividades 2016 – Balanço e Demonstração dos Resultados. O conteúdo também está disponibilizado na aba Transparência Casel. Para ter acesso ao conteúdo na íntegra, basta clicar na imagem abaixo.
Não conseguiu acessar? Experimente clicar no link abaixo:
 *

Novos jovens aprendizes assinam contrato e já estão trabalhando

Ele fazem parte da família Casa de Ismael desde que foram acolhidos. Mas, agora, a Casa de Ismael tem a honra de participar do primeiro passo da vida profissional deles e isso só está sendo possível graças ao esforço e a dedicação de cada um desses jovens.

Emily, Estefani, Thalia e Guilherme

O Guilherme, a Estefani, a Thalia, que têm 16 anos, e a Emily, de 15, fazem parte do programa Primeiro Passo para o Trabalho – o programa de formação de jovens aprendizes que faz parte do Setor de Educação Sócio-profissional da Casa de Ismael – Lar da Criança, e visa a formação profissional, pessoal e cidadã de adolescentes em situações de vulnerabilidade.O Programa se fundamentada na Lei 10.097/2000, conhecida como Lei do Aprendiz e funciona em parceria com as empresas locais, onde os jovens executam tarefas que auxiliam sua formação prática durante quatro horas por dia, durante quatro dias da semana, porque o quinto dia o jovem participa da aprendizagem teórica oferecida na Casa de Ismael. Nesse programa de estágio, eles começam a ter contato com o mercado de trabalho e a direcionar a vida profissional.

O programa Primeiro Passo tem duração de dois anos. A Emily vai contribuir na parte administrativa do Banco do Brasil. Já o Guilherme, a Estefani e a Thalia vão trabalhar na Casa de Ismael, tanto na parte administrativa como na educativa.

Mães sociais acompanham assinatura de contato – emocionadas e muito felizes

Para fazer parte do programa, todos precisaram preencher os requisitos necessários, entre eles, os mais importantes: estar estudando e ter um bom rendimento escolar.
Durante a cerimônia de assinatura dos contratos houve muito emoção.  A coordenadora do setor de educação sócio-profissional, Keity Gisele Reis da Silva, lembrou que a Casel, que sempre esteve presente na vida deles desde o acolhimento, agora conta com eles para levar a instituição adiante, e que todos estão de braços dados rumo ao futuro.
Keity também lembrou que o carinho será o de sempre, mas agora a relação entre eles e os funcionários da casa muda um pouco. As tias passaram a ser colegas nessa fase de transição pela qual eles estão passando. E que, se eles chegaram a dar esse importante passo, eles têm condições de ir além. “Esse é um trabalho em conjunto, em que a Casel participa de um processo de amadurecimento desses jovens. É o mesmo trabalho de transformar o barro numa obra de arte. Hoje, eles estão num estágio pré-profissional, dando um dos primeiros passos para a autonomia de vida”, destacou a coordenadora, emocionada.
Todos coordenadores e diretores foram unânimes ao dizer que “todos os adolescentes que passam na casa de Ismael precisam estudar e dar o primeiro passo”. E, por isso, com muita alegria, diretores, coordenadores e mães sociais fizeram questão de estarem juntos nesse momento.
O diretor da Infância e da Juventude, da Casel, Antonio Brás de Almeida, reforçou que a partir de agora, os novos aprendizes vão ajudar a casa a funcionar, a melhorar e que a responsabilidade aumenta à medida que nesse momento se tornam exemplo para os outros. E complementou aos jovens “Quando terminar esse estágio de dois anos, vocês não podem parar. Meus parabéns! Estou muito emocionado e realizado com essa conquista de vocês”.
A emoção também marcou o discurso da coordenadora de acolhimento, Vivian Queiroz, que disse estar orgulhosa de ver que eles chegaram até a profissionalização, pois isso é alcançar um patamar maior do que eles estavam até então, é crescer. “Nós estamos de braços abertos, aqui vocês tem todos os direitos trabalhistas como qualquer trabalhador. Continuem estudando”, aconselhou a coordenadora.
A encarregada do Departamento de Educação da Casa de Ismael também destacou a importância dessa conquista. “Essa associação do mundo da educação e do mundo do trabalho é fundamental, porque por meio da educação é que vocês vão conseguir cada dia mais se especializarem. E quando a gente tem a oportunidade de trabalhar com o que a gente gosta, esse compromisso aumenta”, disse Aparecida ao se recordar do semelhante trabalhado que a Casa de Ismael já vinha desenvolvendo nos anos de 1990 e que mudou a vida de tantos acolhidos.
Todos, inclusive o diretor administrativo, Hubimaier Santiago, aconselharam os jovens a seguirem comprometidos com essa primeira oportunidade profissional, uma vez que o compromisso se torna ainda maior, agora, quando eles passam a participar também do desenvolvimento e da educação das crianças da Casel, representando a instituição dentro e fora dela.
Agradecimentos
O Guilherme aproveitou o momento para agradecer à Casa de Ismael pela oportunidade. “Esse é um grande espaço que nós damos. O programa já fala tudo – é um primeiro passo não só pro mercado de trabalho, mas para as nossas vidas. Nós passamos por um processo de amadurecimento cheio de ansiedade, conflitos, barreiras. Mas nós conseguimos, né, e todo dia nós damos um primeiro passo pra um novo começo, um novo tudo”, disse Guilherme.
Emily em poucas palavras contou, emocionada, que sempre quis trabalhar e resumiu o sentimento de todos na sala. “Estou muito feliz!!”.
Já Thalia aproveitou para complementar “É uma honra muito grande, hoje, estar sentada aqui e pensar que cresci aqui dentro e vou começar minha vida profissional aqui. Eu sempre pensava que a minha hora não ia chegar, mas chegou”.
E, com lágrimas nos olhos, Estefani encerrou “Sempre quis trabalhar! Muito obrigada a todos por terem nos ajudado. Esse é o primeiro de muitos passos”.