Novos jovens aprendizes assinam contrato e já estão trabalhando

Ele fazem parte da família Casa de Ismael desde que foram acolhidos. Mas, agora, a Casa de Ismael tem a honra de participar do primeiro passo da vida profissional deles e isso só está sendo possível graças ao esforço e a dedicação de cada um desses jovens.

Emily, Estefani, Thalia e Guilherme

O Guilherme, a Estefani, a Thalia, que têm 16 anos, e a Emily, de 15, fazem parte do programa Primeiro Passo para o Trabalho – o programa de formação de jovens aprendizes que faz parte do Setor de Educação Sócio-profissional da Casa de Ismael – Lar da Criança, e visa a formação profissional, pessoal e cidadã de adolescentes em situações de vulnerabilidade.O Programa se fundamentada na Lei 10.097/2000, conhecida como Lei do Aprendiz e funciona em parceria com as empresas locais, onde os jovens executam tarefas que auxiliam sua formação prática durante quatro horas por dia, durante quatro dias da semana, porque o quinto dia o jovem participa da aprendizagem teórica oferecida na Casa de Ismael. Nesse programa de estágio, eles começam a ter contato com o mercado de trabalho e a direcionar a vida profissional.

O programa Primeiro Passo tem duração de dois anos. A Emily vai contribuir na parte administrativa do Banco do Brasil. Já o Guilherme, a Estefani e a Thalia vão trabalhar na Casa de Ismael, tanto na parte administrativa como na educativa.

Mães sociais acompanham assinatura de contato – emocionadas e muito felizes

Para fazer parte do programa, todos precisaram preencher os requisitos necessários, entre eles, os mais importantes: estar estudando e ter um bom rendimento escolar.
Durante a cerimônia de assinatura dos contratos houve muito emoção.  A coordenadora do setor de educação sócio-profissional, Keity Gisele Reis da Silva, lembrou que a Casel, que sempre esteve presente na vida deles desde o acolhimento, agora conta com eles para levar a instituição adiante, e que todos estão de braços dados rumo ao futuro.
Keity também lembrou que o carinho será o de sempre, mas agora a relação entre eles e os funcionários da casa muda um pouco. As tias passaram a ser colegas nessa fase de transição pela qual eles estão passando. E que, se eles chegaram a dar esse importante passo, eles têm condições de ir além. “Esse é um trabalho em conjunto, em que a Casel participa de um processo de amadurecimento desses jovens. É o mesmo trabalho de transformar o barro numa obra de arte. Hoje, eles estão num estágio pré-profissional, dando um dos primeiros passos para a autonomia de vida”, destacou a coordenadora, emocionada.
Todos coordenadores e diretores foram unânimes ao dizer que “todos os adolescentes que passam na casa de Ismael precisam estudar e dar o primeiro passo”. E, por isso, com muita alegria, diretores, coordenadores e mães sociais fizeram questão de estarem juntos nesse momento.
O diretor da Infância e da Juventude, da Casel, Antonio Brás de Almeida, reforçou que a partir de agora, os novos aprendizes vão ajudar a casa a funcionar, a melhorar e que a responsabilidade aumenta à medida que nesse momento se tornam exemplo para os outros. E complementou aos jovens “Quando terminar esse estágio de dois anos, vocês não podem parar. Meus parabéns! Estou muito emocionado e realizado com essa conquista de vocês”.
A emoção também marcou o discurso da coordenadora de acolhimento, Vivian Queiroz, que disse estar orgulhosa de ver que eles chegaram até a profissionalização, pois isso é alcançar um patamar maior do que eles estavam até então, é crescer. “Nós estamos de braços abertos, aqui vocês tem todos os direitos trabalhistas como qualquer trabalhador. Continuem estudando”, aconselhou a coordenadora.
A encarregada do Departamento de Educação da Casa de Ismael também destacou a importância dessa conquista. “Essa associação do mundo da educação e do mundo do trabalho é fundamental, porque por meio da educação é que vocês vão conseguir cada dia mais se especializarem. E quando a gente tem a oportunidade de trabalhar com o que a gente gosta, esse compromisso aumenta”, disse Aparecida ao se recordar do semelhante trabalhado que a Casa de Ismael já vinha desenvolvendo nos anos de 1990 e que mudou a vida de tantos acolhidos.
Todos, inclusive o diretor administrativo, Hubimaier Santiago, aconselharam os jovens a seguirem comprometidos com essa primeira oportunidade profissional, uma vez que o compromisso se torna ainda maior, agora, quando eles passam a participar também do desenvolvimento e da educação das crianças da Casel, representando a instituição dentro e fora dela.
Agradecimentos
O Guilherme aproveitou o momento para agradecer à Casa de Ismael pela oportunidade. “Esse é um grande espaço que nós damos. O programa já fala tudo – é um primeiro passo não só pro mercado de trabalho, mas para as nossas vidas. Nós passamos por um processo de amadurecimento cheio de ansiedade, conflitos, barreiras. Mas nós conseguimos, né, e todo dia nós damos um primeiro passo pra um novo começo, um novo tudo”, disse Guilherme.
Emily em poucas palavras contou, emocionada, que sempre quis trabalhar e resumiu o sentimento de todos na sala. “Estou muito feliz!!”.
Já Thalia aproveitou para complementar “É uma honra muito grande, hoje, estar sentada aqui e pensar que cresci aqui dentro e vou começar minha vida profissional aqui. Eu sempre pensava que a minha hora não ia chegar, mas chegou”.
E, com lágrimas nos olhos, Estefani encerrou “Sempre quis trabalhar! Muito obrigada a todos por terem nos ajudado. Esse é o primeiro de muitos passos”.